7 maus hábitos que estão a estragar o seu capacete

Um capacete protege a nossa cabeça em caso de impacto. Sendo um elemento tão importante na nossa segurança enquanto andamos de moto, convém ter em atenção alguns maus hábitos que estão a estragar o seu capacete.

andardemoto.pt @ 3-10-2019 16:40:48

Usar equipamentos de proteção é algo que todos os motociclistas devem fazer, sem exceção. Blusão, calçado apropriado, luvas, ou até as recentes calças de ganga reforçadas com kevlar e que também contam com proteções nos joelhos e ancas.

Tudo isto deve ser usado, embora a lei permita conduzir moto sem nenhum destes equipamentos. São opcionais e fica ao critério de cada um usar ou não usar – o conselho do Andar de Moto é que deve usar SEMPRE todos os equipamentos de proteção!

Há no entanto um equipamento sem o qual não podemos conduzir moto: capacete!

A lei diz que para conduzir uma moto deveremos estar sempre equipados com um capacete homologado de acordo com as regras CE. Não há exceções! Pode ser do tipo aberto, jet, integral, modular ou até para a prática de TT. O tipo de capacete não interessa. Apenas sabemos que temos de o usar.

A importância de um capacete em bom estado é vital para nos proteger a cabeça em caso de acidente. Um impacto nesta zona do corpo é muito grave, e por isso convém ter em atenção o estado de conservação do nosso capacete.

Mas se nos primeiros dias após a compra de um capacete somos “super” cuidadosos, e ficamos chateados quando aparece o primeiro risco ou ele cai no chão depois de o pousarmos na moto, com o passar do tempo temos tendência a menosprezar alguns cuidados com este elemento vital da nossa proteção enquanto motociclistas.

Para o ajudar a evitar problemas, deixamos aqui uma lista de 7 maus hábitos que os motociclistas têm em relação aos seus capacetes. Se conseguir evitar estes maus hábitos, vai ver que o seu capacete vai durar mais tempo e vai continuar a encaixar na sua cabeça como “uma luva”.

Não pendurar o capacete no espelho retrovisor

Paramos e desligamos a moto. Muitas vezes a primeira coisa que fazemos é tirar o capacete e pendurar o mesmo num dos espelhos retrovisores da nossa moto. É uma ação natural e muito comum entre os motociclistas. Mas é um mau hábito que deve ser evitado a todo o custo!

Um espelho retrovisor costuma estar (bastante) sujo com mosquitos e outras sujidades. Quando penduramos o capacete usando o espelho como suporte, essas sujidades vão contaminar o forro interno do capacete. Por melhor que seja o forro e que os diversos fabricantes afirmem que o forro é antibacteriano, essa sujidade vai fazer estragos.

Para além disso o facto do capacete estar pendurado no espelho vai criar pontos de pressão no forro do capacete. Isso vai levar ao desgaste anormal e mais rapidamente do tecido do forro.


Manter / guardar o capacete num local seco e ventilado


Andar de moto, seja na estrada ou na pista, é uma atividade que exige que o nosso corpo se mexa. O esforço físico leva ao aumento da temperatura corporal, e em resultado disso o corpo transpira para baixar a temperatura. A nossa testa é um dos pontos por onde o corpo humano mais transpira.

Isto serve para percebermos que durante um passeio de moto o capacete ficará quente e húmido. Quando chegamos ao nosso destino devemos evitar deixar o capacete fechado. O melhor é encontrar um local seco e ventilado, e colocar o capacete com a abertura para a cabeça para cima e a viseira aberta.

Para quem anda em pista é habitual a utilização de ventoínhas que permitem secar o capacete mais rapidamente.

Não deixar as luvas no interior do capacete



Outra coisa que é fácil de ver acontecer quando um motociclista pára a moto, é guardar as luvas no capacete. É um ato reflexo. Este procedimento não é, de todo, aconselhável, pois as luvas para além de poderem estar sujas têm por norma sistemas de ajuste por velcro.

Estas fitas de velcro acabam por se agarrar ao tecido do forro do capacete, e mais uma vez o tecido vai desgastar-se muito rapidamente.

Outra situação que decorre de guardar as luvas no capacete é que as luvas estão, normalmente, húmidas com a transpiração. Essa humidade vai passar para o forro do capacete, e se há algo que qualquer fabricante de capacetes lhe vai dizer é que a humidade é o pior que pode existir para a degradação da qualidade de um capacete.

Não transportar o capacete pelo braço

Mais uma vez, isto é algo que todos nós fazemos de forma involuntária. É verdade que o fabricante do nosso capacete inclui na caixa, para além do capacete novo, um saco de transporte. Mas na realidade quantos de nós é que usamos o saco de transporte no dia-a-dia?

É mais fácil usar o nosso próprio braço para transportar o capacete. O que isso vai fazer ao forro é alargar as várias secções que fazem parte do forro interior. Por exemplo as almofadas laterais vão alargar facimente, e o resultado é que o capacete vai deixar de ficar bem ajustado à nossa cara / bochecas.

Se a baixas velocidades pode não parecer problemático, basta aumentar de velocidade enquanto conduzimos moto e rapidamente se sente o capacete a mexer. Felizmente, e se isto acontecer, tem sempre a possibilidade de adquirir um novo conjunto de almofadas laterais para renovar o forro do seu capacete.


Não utilize papel para limpar a viseira

Ao longo dos anos os fabricantes de capacetes criaram e desenvolveram viseiras extremamente resistentes aos impactos e também anti-riscos. Mas na realidade uma simples limpeza com um papel pode danificar a superfície do seu capacete.

Para limpar uma viseira deve utilizar um pano microfibra, evitando os famosos micro-riscos, e ao mesmo tempo aplicar água morna sem detergente para remover o excesso de sujidade. Neste particular existem no mercado de acessórios de motociclismo alguns sprays específicos para limpeza da viseira. Estes líquidos foram específicamente criados para ser aplicados nas viseiras, removendo a sujidade facilmente, e sem estragar as características da viseira como o anti-embaciamento.

Não use sprays de limpeza de tecidos

Na secção de roupa de um hipermercado é fácil encontrar alguns produtos que permitem “limpar” os tecidos das nossas roupas, ao mesmo tempo que deixam a roupa com um aroma agradável, como se tivesse acabado de sair da máquina de lavar.

Estes sprays de limpeza de tecidos não são apropriados para usar no nosso capacete!

Os capacetes atuais contam com forro removível e lavável. Os fabricantes recomendam que o forro seja lavado periódicamente para remover a sujidade. Se estiver a precisar de lavar o forro interior do seu capacete saiba que a melhor opção é lavar à mão e não na máquina. E depois de lavado, espere que o forro fique bem seco antes de o voltar a instalar no capacete.

A utilização dos sprays de limpeza de tecidos não remove a sujidade. Apenas “esconde” a sujidade, criando a sensação de que os tecidos estão limpos através de um aroma. Na realidade o forro vai continuar sujo, e a sujidade acumulada é um fator que contribui para uma degradação rápida.

Não agarre o seu capacete pela viseira!

Este é um mau hábito que não é tão comum, mas que ainda assim todos nós já fizemos pelo menos uma vez na nossa vida enquanto motociclistas. O mecanismo de encaixe da viseira (que se encontra nas laterais do capacete) é relativamente frágil.

Ao agarrar o capacete pela viseira o que vamos fazer é criar uma folga no mecanismo de encaixe, e a partir daí a viseira deixará de se manter aberta se aumentamos a velocidade, para além de que quando a fechamos pode já não ajustar-se completamente à calota do capacete e assim o ruído interno devido ao vento aumenta significativamente.

Se notar que a viseira do seu capacete tem folga, já não encaixa tão bem no mecanismo de encaixe, se notar mais ruído em andamento, então poderá necessitar de se deslocar a um especialista para que possa fazer a afinação da viseira do seu capacete e tudo fique como novo.

andardemoto.pt @ 3-10-2019 16:40:48


Clique aqui para ver mais sobre: Moto-Dica