Bol d’Or 2021 – Pedro Nuno e a Slider Endurance arrancam de 29º e a Yoshimura SERT na “pole”

O piloto português foi o mais rápido dos três pilotos da Team Slider Endurance que arrancará para as 24 horas do Bol d’Or da 29ª posição. O Pedro Nuno falou em exclusivo ao Andar de Moto sobre esta qualificação e estreia noturna. Na “pole position” para esta ronda do Mundial de Resistência FIM temos os campeões Yoshimura SERT Motul com novo recorde.

andardemoto.pt @ 17-9-2021 17:16:44

Depois do primeiro dia ser dedicado a treinos livres e à primeira sessão de qualificação, o segundo dia no circuito Paul Ricard foi dedicado à derradeira, e decisiva, sessão de qualificação 2 a contar para o Bol d’Or 2021, prova com 24 horas de duração e que faz parte do Mundial de Resistência FIM.

Com a Yoshimura SERT Motul, formação composta por Gregg Black, Sylvain Guintoli e Xavier Simeon, a mostrar o porquê de serem os campeões do Mundial de Resistência FIM, e com Simeon a conseguir inclusivamente registar um novo recorde no Paul Ricard rodando em 1m52.374s, o segundo lugar na classificação da derradeira qualificação para o Bol d’Or ficou para a equipa oficial YART, sendo que a BMW Motorrad World Endurance Team fechou o “top 3”.

Com este resultado a Yoshimura SERT Motul garante já cinco pontos para a contabilidade do campeonato, pontuação que é entregue à equipa que garante a “pole” neste Bol d’Or.

Com as equipas da classe principal EWC a dominarem por completo as 11 primeiras posições na qualificação, a melhor Superstock em pista foi a Team 18 Sapeurs Pompiers CMS Motostore com o 12º lugar.



Mas as nossas atenções acabam por estar centradas na presença do único piloto português: Pedro Nuno.

Depois de no seu dia de estreia no Mundial de Resistência FIM o português ter surpreendido pela sua rapidez aos comandos da Yamaha YZF-R1 #119 do Team Slider Endurance, mesmo tendo em conta as condições climatéricas muito adversas que se fizeram sentir na qualificação 1, Pedro Nuno enfrentou hoje a qualificação 2 e deu novamente mostras de como se adaptou muito bem a este campeonato e ao traçado de Paul Ricard.

Pedro Nuno obteve o 8º melhor registo entre os pilotos da classe Superstock do seu turno (pilotos vermelhos) na qualificação 2, rodando a pouco mais de 4,3 segundos do mais rápido em pista que foi o muito experiente Sylvain Guintoli (Yoshimura SERT Motul). Destacamos o facto do antigo piloto de MotoGP e campeão mundial de Superbike ter sido, em conjunto com o seu companheiro de equipa Xavier Simeon, o único a conseguir rodar no segundo 52 aos comandos de uma moto da classe principal EWC.



Claramente a apresentar-se ao serviço como o piloto mais rápido do trio de pilotos do Team Slider Endurance, o melhor tempo do Pedro Nuno foi vital para garantir à equipa francesa o 29º lugar à geral na qualificação para as 24 horas do Bol d’Or.

Neste segundo dia de trabalho a importância do Pedro Nuno para o Team Slider Endurance voltou a ficar evidenciada na forma como a equipa foi trabalhando as afinações da R1 para os pneus Michelin. Até agora a equipa corrida com pneus Dunlop, e este fim de semana está a usar Michelin, o que altera por completo as afinações da moto. O piloto português está habituado aos pneus franceses que usa no ESBK, e por isso a sua importância no trabalho da equipa é ainda maior.

Já depois de ter voltado a mostrar a sua rapidez em pista, o Pedro Nuno voltou a falar em exclusivo com o Andar de Moto, onde para além da qualificação, abordou o sempre importante tema de pilotar à noite, uma estreia para o piloto de Vila Franca de Xira:

“Ontem, como já tinha dito, foi a minha primeira vez a pilotar à noite. Pilotar à noite foi um espetáculo! Uma sensação única. Vemos bem, minimamente bem, é uma coisa que adorei e estou mesmo sem palavras pois é uma experiência única, uma sensação fantástica. Acho que qualquer piloto devia passar por isto. Ontem à noite fiz 3º melhor tempo, a apenas quatro décimas do primeiro classificado das Superstock e 16º na geral. Em relação à qualificação de hoje, não foi o melhor dia porque o Charles Cortot foi o primeiro a sair para a pista e teve problemas com a moto #1. Tivemos de trocar para a segunda moto para o segundo piloto, que por azar, quando ia a entrar para a box, acabou por cair depois de ter sido tocado pela moto de outro piloto que caiu primeiro. E eu acabei por pegar na segunda moto depois da equipa ter tentado reparar ao máximo os danos, mas ainda tinha alguma coisa dobrada e tínhamos problemas de afinação. Consegui apenas fazer 8º. Mas está a ser uma experiência única que estou a adorar. Amanhã ainda temos o warm up e depois o início das 24 horas, e aí sim, aí é que vai começar a contar e será o mais importante”.

Fique atento ao Andar de Moto pois iremos receber atualizações, sempre que possível, diretamente do Pedro Nuno ao longo da corrida do Bol d’Or 2021.

andardemoto.pt @ 17-9-2021 17:16:44


Clique aqui para ver mais sobre: Esportes