Teste equipamento Alpinestars e capacete MT KRE+ - Sugestões Multimoto

Ao longo de quase todo o ano de 2023, o blusão Alpinestars T-SP-1, as botas Alpinestars Faster 3 e o capacete MT KRE+ foram usados por mim em diferentes estilos de motos e condução.

andardemoto.pt @ 19-2-2024 16:59:48

Especialista em equipamentos desde 1963, a cinquentona Alpinestars orgulha-se do vasto portefólio de conquistas dos campeonatos de motociclismo das diferentes modalidades e sempre com o mesmo foco: oferecer a máxima segurança aos seus pilotos!

Equipamento Alpinestars - Polivalência Acessível

Neste teste, o blusão T-SP-1 e as botas Faster 3 das Alpinestars “resistiram” a diferentes estilos de condução, sob diferentes condições meteorológicas e em diferentes motos, desde as nakeds de média cilindrada Honda Hornet 750 e Suzuki GSX-8S, passando pela turística CFMOTO 650GT, a Voge 350 AC, a CFMOTO 300CL-X e até a mais pequena Voge 125R

Em todas estas motos, e ainda noutras, pudemos comprovar as suas características em velocidades mais elevadas, em estradas mais reviradas e em condução citadina, nas quais tanto o blusão como as botas se destacaram como uns belos aliados à condução fácil e confortável do dia-a-dia.

Quer para ir apenas buscar pão ou para as maiores voltas de moto, o blusão é, para mim, um adereço obrigatório e também uma peça que torna a função de andar de moto mais aconchegante. Em virtude da sua boa capacidade de ajuste, a inexistência de ondulações ou efeito balão torna-nos um só com o casaco Alpinestars T-SP-1, mas bem protegidos!


Com ajuste nos punhos, na cintura e no cós, o blusão T-SP-1 pode acoplar um forro interior térmico a fim de combater as temperaturas baixas- Este une-se à camada exterior por meio de um fecho éclair no interior do fundo das costas e por botões de pressão nos punhos. Sem o casaco interior, o blusão expõe a sua rede, concebida para promover a ventilação-

No entanto a ventilação é um aspeto menos positivo deste modelo da Alpinestars, realizada apenas por duas entradas de ar por baixo das axilas, manifestamente reduzida para garantir uma eficaz respiração do interior.

Quanto à praticidade e segurança, o Alpinestars T-SP-1 tem dois bolsos exteriores e dois interiores (um destes impermeável) e protetores semi rígidos nos cotovelos e ombros. Pode ser acrescentado um protetor dorsal, na respetiva bolsa, mas que é vendido em separado.

De mencionar ainda que o casaco contém vários elementos refletores para aumentar a visibilidade na estrada.

O calçado desportivo Alpinestars Faster 3 revelou-se uma surpresa ao longo destes meses de testes.

Na primeira vez que usei as botas Faster 3, e tal como em qualquer calçado específico para motociclismo, os movimentos eram reduzidos e pouco confortáveis. Contudo, na segunda tentativa e consequentes, foi melhorando a maleabilidade da pele que as constitui e, graças ao seu design esguio, conseguimos ter muita liberdade de movimento durante a condução.

Uma aparência naturalmente desportiva e ao mesmo tempo casual para o uso diário, com aperto por atacadores e fita de velcro, promovem um bom ajuste ao pé.


Confortáveis durante várias horas de uso em cima da moto e reforçadas com protetores de calcanhar e tornozelo, contam ainda com um pequeno detalhe tipo “deslizador” na ponta externa da bota.

Combinados, este dois equipamentos da Alpinestars conseguem ser bons companheiros para qualquer dia e ocasião em cima da moto.

Capacete MT KRE+ S - Da pista para a estrada

Para os motociclistas que acompanham o principal campeonato de motociclismo, o MotoGP, provavelmente irão reconhecer as linhas do KRE+ S das categorias Moto2 e Moto3, que na temporada de 2024 estará também presente na grelha de MotoGP na cabeça do piloto Pedro Acosta.

Tal como a fabricante afirma o capacete MT KRE+ S representa “toda a sua evolução em termos de tecnologia e segurança…”, e o Andar de Moto teve a oportunidade de o testar, e usar, durante vários meses, sob diferentes condições atmosféricas, em motos de segmentos díspares e distintos tipos de condução.

O design, um dos principais fatores que levam os motociclistas a adquirir um capacete, não desaponta no caso do KRE+ S. Totalmente focado na performance aerodinâmica com linhas suaves para não perturbar a fluidez do ar que por ele passa a alta velocidade. Acentuando esta forma estudada, o spoiler traseiro confere uma maior estabilidade nas velocidades elevadas, sobretudo quando o queixo vai apoiado no depósito, encaminhando o ar para a bossa do fato de pista, além de integrar discretamente os extratores de ar da ventilação.


Na aquisição do KRE+ S vem incluída uma viseira escura, além da típica transparente, ambas com pinlock, sendo necessário ferramentas para proceder à sua substituição. 

O campo de visão fornecido pela viseira é amplo e esta contém um sistema de fecho de segurança por botão, posicionado por cima da entrada de ar frontal inferior.

Quanto ao sistema de ventilação, o KRE+ S conta com entradas de ar reguláveis no topo e na queixeira, que abrem ou bloqueiam a circulação do ar pelos canais interiores que regulam a temperatura dentro do capacete, sendo fáceis de abrir ou fechar, mesmo com luvas.

Nesta versão que nos foi cedida para teste e utilização generalizada, a calota exterior é facilmente reconhecida pela sua constituição em fibra de carbono virgem, decorada com discretos detalhes na cor preta.

Este pormenor confere, além de uma aparência impactante, um baixo peso que se reflete numa diminuição da fadiga, facto comprovado durante as várias horas que o usei em cima das diversas motos e em algumas viagens.

Um interior impactante, na cor verde, mantém-nos confortáveis durante várias horas de condução devido à boa qualidade dos forros e aos seus acabamentos.

Durante a utilização do capacete MT KRE+ S a estabilidade promovida pela aerodinâmica foi comprovada, assim como o bastante aceitável nível de ruído . 

Além do mais, o MT KRE+ S incorpora uma cobertura inferior do queixo para uma maior proteção do vento vindo de baixo, o melhor sistema de fecho, em duplo D, e o sistema de remoção das almofadas laterais em caso de uma situação de emergência.


Baseado nos conhecimentos adquiridos na competição, o MT KRE+ S não só vem preparado para circular nas estradas, graças à sua homologação ECE 22.06, mas vem ainda apto para a competição, em virtude de possuir homologação FIM Racing.

No geral, o capacete MT KRE+ S assume-se como uma proposta acessível, com elevada qualidade de materiais e acabamentos, além de oferecer um bom compromisso entre conforto e eficácia.

Preços equipamentos testados:

  • Capacete MT KRE+ S - 500€ c/iva
  • Blusão Alpinestars T-SP-1 - 239,95 c/iva
  • Botas Alpinestars Faster 3 - 164,95€ c/iva
Para mais informação sobre este equipamentos entre em contacto com o importador nacional, a Multimoto.

andardemoto.pt @ 19-2-2024 16:59:48


Clique aqui para ver mais sobre: Notícias de Equipamentos e Acessórios para Motos