MotoGP – Lorenzo e Crutchlow queixam-se e Alberto Puig responde

A Honda Racing Corporation tem motivos para sorrir em MotoGP, pois Marc Marquez continua a oferecer vitórias e títulos ao maior fabricante mundial de motos. Mas nem todos os pilotos sentem que a Honda está a trabalhar bem. Jorge Lorenzo e Cal Crutchlow não escondem o seu descontentamento, e rapidamente Alberto Puig decidiu responder à dupla de pilotos.

andardemoto.pt @ 25-6-2019 21:46:14

Não é segredo para ninguém, em particular para quem segue de perto o Mundial de Velocidade e a categoria MotoGP, que quando um fabricante desenvolve uma moto, essa moto pode não permitir a todos os pilotos desse fabricante conseguirem extraír o melhor da moto e de si próprios.

No caso da Honda e do seu departamento de competição Honda Racing Corporation, a temporada de MotoGP não está a correr nada mal. Marc Marquez já leva uma vantagem considerável na luta pelo título, e o piloto da Repsol Honda conquistou cinco títulos em seis possíveis. Desde 2013, quando chegou à categoria rainha do motociclismo de velocidade, Marquez viu o HRC desenvolver a RC213V de modo a adaptar-se às suas características enquanto piloto.

Por exemplo, a geometria do chassis foi trabalhada para que Marquez possa “usar e abusar” da roda da frente, utilizando muito mais força nos avanços para fazer com que a moto se incline para a curva.


Mas esta conceção do protótipo RC213V não está a ser benéfica para todos.

Se analisarmos as últimas temporadas, Marc Marquez tem sido o único piloto Honda que tem sido capaz de forma consecutiva e consistente conseguir subir ao pódio e vencer. Dani Pedrosa, que agora é piloto de testes da KTM, também conseguia vencer e obter pódios, mas também ele nos últimos tempos na Repsol Honda estava a sentir muitas dificuldades, pese embora todos lhe reconheçam a rapidez e talento para pilotar uma MotoGP.

Cal Crutchlow (LCR Honda) também já conseguiu vencer com a Honda RC213V, mas o britânico está a passar por uma fase menos positiva aos comandos da moto nipónica. O pódio na corrida de abertura do ano no Qatar parecia ser um bom indicador do que Crutchlow poderia fazer, mas depois disso o piloto natural de Coventry não mais voltou a subir ao pódio de MotoGP.

Depois da corrida e dos testes realizados no circuito de Montmeló, Crutchlow decidiu falar com a imprensa. Falando de forma aberta, o que é já uma das suas características fora das pistas, o piloto da LCR Honda afirma que a moto japonesa é mesmo díficil de pilotar e dá razão a Jorge Lorenzo quando o espanhol diz que não está a conseguir entender-se com a RC213V.


Cal Crutchlow pede à Honda que melhore a forma como a moto traça trajetórias, permitindo aos pilotos poupar a sua energia ao longo das longas corridas de MotoGP. Crutchlow compreende que seja difícil à Honda alterar quando têm um piloto que vence tantas vezes.

Quem não gostou das declarações de Jorge Lorenzo e Cal Crutchlow foi o diretor da equipa Repsol Honda, Alberto Puig.

Puig, em declarações ao portal PecinoGP.com, não poupou nas palavras e nas críticas a quem diz que a RC213V está feita à medida de Marc Marquez. Para o responsável da Repsol Honda “Quando se tem um piloto que ganha quase todos os fins de semana, não há nada a dizer. Fim da conversa. Por isso os outros pilotos com esta moto podem queixar-se o que quiserem. Mas há um que fica sempre no pódio… por isso se são pilotos e sabem que não conseguem pilotar a moto, não venham para aqui. Se vêm e têm esta moto… calem-se e pilotem!”.

Ainda assim, apesar destas palavras mais duras que “atingem” em cheio Jorge Lorenzo e Cal Crutchlow, Alberto Puig não esconde que tem esperança de que Lorenzo consiga recuperar o foco e adaptar-se à Honda RC213V. Até porque, de acordo com Puig, a Honda tem dado ao piloto espanhol tudo o que ele tem pedido.

Mas o tempo para Jorge Lorenzo parece estar a esgotar-se a cada GP que passa...

andardemoto.pt @ 25-6-2019 21:46:14


Clique aqui para ver mais sobre: Esportes