MotoGP Sachsenring – Marquez é o “SachsenKing”, e Miguel termina em 18º

Marc Marquez fez aquilo que todos esperavam e dominou de “fio a pavio” o Grande Prémio da Alemanha de MotoGP. O campeão somou a impressionante marca de 10 vitórias consecutivas, num dia em que Miguel Oliveira estava a recuperar muitas posições mas viu o seu esforço sofrer um rude golpe devido a queda.

andardemoto.pt @ 7-7-2019 16:09:20

Desde há 10 anos que o historial do Grande Prémio da Alemanha era claramente favorável ao espanhol Marc Marquez. O campeão em título só sabe vencer no circuito alemão de Sachsenring desde os tempos das 125 (1 vitória), passando depois para as Moto2 (2 vitórias), tendo então partido sempre da “pole position”.

Ontem, Marc Marquez (Repsol Honda) voltou a não dar hipóteses e conquistou a sua 10ª “pole position”, e apenas uma verdadeira hecatombe iria impedir o piloto da Honda de festejar o doce sabor da vitória na Alemanha.

Apesar das condições climatéricas terem causado alguma incerteza em relação à escolha de pneus, com muitos pilotos a fazerem a escolha final minutos antes do arranque e já na grelha de partida, Marc Marquez não se mostrou minimamente pressionado. Um mau arranque ainda deixou o piloto da Repsol Honda à mercê dos rivais, mas ainda na primeira curva já estava de regresso à liderança, com Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha) logo atrás, e com um surpreendente Alex Rins (Ecstar Suzuki) a subir algumas posições para chegar a terceiro, e Cal Crutchlow (LCR Honda) em quarto.


Marquez aguentou a pressão nos momentos iniciais, Rins conseguiu passar o compatriota Viñales e assumiu então a caça à liderança. No entanto o “SachsenKing” como é chamado Marc Marquez, fez jus à sua alcunha, e três voltas extremamente rápidas deixaram-nos com alguma vantagem sobre o perseguidor. Com a Suzuki a revelar-se bem adaptada ao circuito muito técnico, Alex Rins, a partir de meio da corrida, começou a igualar os tempos de Marquez, conseguindo inclusivamente iniciar uma tímida recuperação.

Infelizmente para o espanhol da Suzuki, uma queda terminou com o seu esforço. Uma grande desilusão para Rins, que depois de terminar com a série vitoriosa de Marc Marquez no Circuito das Américas, queria reptir a dose em Sachsenring.

Com Marc Marquez sozinho lá na frente da corrida de MotoGP, o maior interesse ficou então centrado na luta pelo segundo lugar.

Depois da excelente vitória em Assen, Maverick Viñales entrou no Grande Prémio da Alemanha com ambições de alcançar nova vitória. Mas cedo ficámos a perceber que Viñales não tinha ritmo para dar luta a Marquez, e o piloto de fábrica da Yamaha viu-se então envolvido numa interessante batalha com Cal Crutchlow.


O britânico, a competir lesionado nos ligamentos cruzados anteriores do seu joelho devido a uma queda enquanto treinava de bicicleta, não se mostrou afetado pelas dores. Crutchlow foi tentando encontrar uma forma de passar por Viñales, mas o espanhol da Yamaha conseguiu sempre ser uns décimos mais rápido e fechar todas as trajetórias, pelo que as posições entre ambos não se alteraram.

Até porque num último esforço Cal Crutchlow puxou demasiado pelo seu pneu traseiro, e depois de uma grande escorregadela, o britânico da Honda preferiu então salvaguardar o terceiro lugar e os pontos tão importantes.

Maverick Viñales foi então segundo classificado e Cal Crutchlow foi terceiro.

Quanto ao piloto português da Red Bull KTM Tech3, Miguel Oliveira arrancou do 20º lugar na grelha de partida, o que ainda assim não significava muito pois o português revelou ao longo do fim de semana um bom andamento e o Top 10 até estava nas suas possibilidades.

E a verdade é que o jovem natural de Almada arrancou muito bem, e ainda durante a primeira volta encontrava-se a lutar pelos pontos, bem no meio do pelotão, rodando então em 16º. Mas na segunda volta, e ao contrário do que é habitual ver no Miguel Oliveira, uma queda na curva 3 deitou todo o seu esforço por terra.

Felizmente o motor da sua KTM RC16 não se calou, e depois de alguns segundos para se recompor do sucedido Miguel Oliveira estava de regresso à corrida. Infelizmente a asa aerodinâmica dianteira do lado direito ficou danificada na queda. Mesmo revelando um ritmo que era dos melhores em corrida – era o 5º mais rápido em pista -, Miguel Oliveira estava então na cauda da corrida e completamente sozinho.

Apesar das voltas muito rápidas os danos na aerodinâmica da moto austríaca impediam o português de andar totalmente estável em linha reta, para além de dificultar a vida nas travagens mais fortes. Miguel Oliveira fez então o seu trabalho de recolher mais informações para a Tech3 e para a KTM, finalizando a corrida em Sachsenring no 18º lugar.

Um resultado de certa forma desapontante pois era visível que Miguel Oliveira estava com ritmo para lutar pelo Top 10, mas por outro lado uma corrida que nos deixa com esperanças para o que falta do campeonato, pois na segunda metade da temporada de MotoGP não será surpresa se Miguel Oliveira conseguir melhores resultados do que tem conseguido, pois a sua moto está claramente mais competitiva

“Foi uma corrida com um final um pouco inglório, depois de ter feito um bom arranque e ter recuperado algumas posições. Cometi um erro na curva 3, a frente da moto fugiu e acabei por cair. A moto continuava a trabalhar, portanto levantei-a e continuei a corrida com alguns danos sobretudo na asa dianteira do lado direito. Foi difícil andar sem uma asa, porque causou muita instabilidade. Não me permitia ir a direito na reta, nem travar a direito. Contudo, o importante foi ter subido para cima da moto e ter continuado a corrida, porque demonstrei um grande ritmo e que tínhamos um grande potencial para terminar no Top10. Tivemos tempos por volta mais rápidos do que a melhor KTM e mais rápidos até, por vezes, do que o grupo que lutava pelo 4º lugar. Apesar do final, estou muito contente com o fim-de-semana. Foram dias importantes em que aprendemos bastante e estamos optimistas para o que se segue. Agora temos uma paragem de verão para recuperar energias e estou certo que vamos voltar em Brno, na República Checa, mais fortes e mais perto daquilo que é o nosso objetivo”, disse Miguel Oliveira depois do Grande Prémio da Alemanha.

Em relação à classificação do campeonato de MotoGP, Marc Marquez continua a alargar a sua vantagem. O espanhol tem já 58 pontos de vantagem para Andrea Dovizioso (185 vs 127), enquanto o terceiro lugar na classificação está nas mãos de Danilo Petrucci, que depois de um início de temporada complicado tem vindo a superiorizar-se ao seu companheiro de equipa na Mission Winnow Ducati.

Já Miguel Oliveira mantém os mesmos 15 pontos que lhe permitem manter-se no 18º lugar de MotoGP.

Clique aqui para ver os resultados completos do Grande Prémio da Alemanha e as classificações do Mundial de Velocidade.

andardemoto.pt @ 7-7-2019 16:09:20