EICMA 2019 – Ducati Streetfighter V4

Uma das motos mais aguardadas para 2020 fez a sua estreia em público no Salão de Milão EICMA. Fique a conhecer em detalhe a nova Ducati Streetfighter V4 e os seus 208 cv!

andardemoto.pt @ 20-11-2019 16:35:49

Depois de um ano em que nos foi deixando descobrir alguns detalhes da Panigale V4 em versão naked, como por exemplo quando decidiram competir com um protótipo na Pikes Peak International Hill Climb, a Ducati finalmente destapou o véu que tapava a Streetfighter V4.

A estreia em público da versão de produção aconteceu no Salão de Milão EICMA, ao lado de outras novidades de Borgo Panigale como foram os casos da Multistrada 1260 S Gran Tour e da Panigale V2 – clique aqui para saber mais sobre estes modelos.

O impacto da nova Streetfighter V4 foi imenso, e os muitos milhares de visitantes que encheram os pavilhões da EICMA ao longo dos vários dias do certame italiano acabaram por eleger esta novidade Ducati para 2020 como “A mais bela” do salão.

Mas debaixo de um design tão apelativo, ao mais puro estilo das naked desportivas atuais, com linhas bem vincadas e agressivas, encontramos uma mecânica que eleva a nova Streetfighter V4 para o topo do segmento.

O motor é o bem conhecido Desmosedici Stradale, um quatro cilindros em V que foi estreado na Panigale V4 e que deriva do motor usado pela Ducati Corse nas suas motos protótipo em MotoGP. Os cilindros criam um V a 90 graus e o motor está rodado para trás em 42 graus. Este posicionamento e arquitetura do motor permitiram à Ducati instalar na Streetfighter V4 uma unidade motriz extremamente compacta e ao mesmo tempo otimizar a distribuição de pesos.

O Desmosedici Stradale conta com cambota contrarrotante, uma solução derivada das MotoGP, em que a cambota roda no sentido contrário. O resultado da utilização desta cambota especial é que a Streetfighter V4 torna-se bastante mais ágil e rápida nas trocas de direção graças ao efeito giroscópico reduzido desta cambota.

Outro dos benefícios deste componente, que usa moentes com “offset” de 70 graus e com isso gera uma sequência de ignição “Twin Pulse”, é que a roda da frente e a traseira não apresentam tanta tendência para levantar, em aceleração ou em travagem.

Os pistões em alumínio com recurso à tecnologia ‘box-in-box’ têm dois segmentos de baixo atrito e um segmento de 81 mm (tal como aquele que existe no motor Desmosedici de MotoGP). O curso de 53,5 mm eleva a capacidade total do motor para os 1.103 cc. O desenho derivado da competição é também sublinhado pela elevada taxa de compressão de 14:1.

Para melhorar o conforto na condução urbana, a bancada de cilindros traseira é desativada quando ao ralenti e a temperatura da água exceder os 75°.


Com tudo isto a nova Streetfighter V4 entrega 208 cv às 12.750 rpm, uma potência que se coloca no topo do segmento das powernaked. O binário máximo é de 123 Nm às 11.500 rpm, praticamente inalterado face à Panigale V4. A potência e o binário podem ser aumentados em mais 6% ao instalar o escape completo de competição Ducati Performance by Akrapovic.

A secção frontal do quadro e o motor Desmosedici Stradale foram deixados em evidência tanto quanto possível. Por detrás do radiador, extratores de ar quente inspirados na F1 combinam funcionalidade e estilo. Estes têm também uma função estrutural, uma vez que se encontram fixos diretamente ao quadro e unem-se com as duas asas sobrepostas que garantem a carga aerodinâmica necessária para maximizar a estabilidade a altas velocidades.

Também para ajudar na estabilidade, a Ducati aumentou a distância entre o pivot do braço oscilante e o eixo da roda traseira em 16 mm, se compararmos com a Panigale V4.


Apesar de baseada na Panigale V4, a nova Ducati Streetfighter V4 apresenta alterações significativas. A posição de condução é totalmente diferente. O assento está colocado a 845 mm de altura, os avanços da Panigale dão lugar a um guiador alto e elevado, e o novo posicionamento dos poisa-pés garante que o condutor da Streetfighter V4 usufrui de maior conforto.

No entanto o grande destaque da Streetfighter V4 são as suas asas biplano da Ducati Corse.

A aerodinâmica foi desenvolvida com recurso a simulações CFD (Computational Fluid Dynamics). O método de cálculo envolveu simulação estacionária de fluxo e pressão para obter uma maior carga aerodinâmica, especialmente na roda dianteira.

Para reduzir o mais possível os movimentos laterais, a equipa de aerodinâmica decidiu adotar uma configuração ‘biplano’ de envergadura limitada, com as asas superior e inferior trabalhando de forma independente.

Cada apêndice pode ser descrito como uma asa singular de plano retangular com uma aleta na ponta exterior.

As asas foram posicionadas tão perto quanto possível da roda dianteira (perto dos painéis laterais do radiador) para maximizar o efeito que impede o levantar da roda. Estes apêndices aerodinâmicos geram 28 kg de carga aerodinâmica a 270 km/h (20 kg na roda dianteira, 8 kg na traseira). As asas também ajudam a dispersar o calor do motor ao aumentar as velocidades do fluxo dos radiadores de água e óleo, respetivamente em 2% e 10%.

Com uma aerodinâmica tão eficiente, a Ducati conseguiu efetivamente limitar a intervenção das diversas ajudas à condução disponíveis nesta Streetfighter V4. Em baixo encontra uma lista com as principais características desta novidade 2020 da casa de Borgo Panigale.

- Motor Desmosedici Stradale, 1.103 cc e 208 cv
- Depósito de combustível de 16 litros, em alumínio, com extensão sob o assento
- Forquilha Showa Big Piston Fork (BPF) de 43 mm, totalmente regulável
- Monoamortecedor Sachs, totalmente regulável
- Amortecedor de direção Sachs
- Sistema de travagem com pinças monobloco Brembo Stylema
- Pneus Pirelli Diablo Rosso Corsa II (traseiro 200/60)
- Asas com configuração 'Biplano'
- Pacote eletrónico de última geração com Unidade de Medição Inercial de 6 eixos (6D IMU): ABS Cornering EVO; Ducati Traction Control (DTC) EVO 2; Ducati Slide Control (DSC); Ducati Wheelie Control (DWC) EVO; Ducati Power Launch (DPL); Ducati Quick Shift up/down (DQS) EVO 2; Engine Brake Control (EBC) EVO
- Teclas para troca rápida de níveis
- Ecrã Full-TFT de 5”
- Riding Modes (Race, Sport, Street)
- Ótica Full-LED com DRL
- Configuração biposto
- Pré-instalação para Ducati Data Analyser+ GPS (DDA+ GPS) e Ducati Multimedia System (DMS)


Para além da versão base, a Ducati criou também uma variante mais exótica. A Streetfighter V4 S tem por base a Streetfighter V4 mas adiciona-lhe uma série de componentes que a tornam bastante mais eficaz e tentadora!

A Streetfighter V4 S inclui tudo o que encontra na Streetfighter V4, exceto nos seguintes elementos:

- Ducati Electronic Suspension (DES) EVO
- Forquilha Öhlins NIX-30 com sistema de controlo Öhlins Smart EC 2.0
- Amortecedor Öhlins TTX 36 com sistema de controlo Öhlins Smart EC 2.0
- Amortecedor de direção Öhlins com sistema de controlo Öhlins Smart EC 2.0
- Jantes Marchesini em alumínio forjado

De referir ainda que as Ducati Streetfighter V4 e Streetfighter V4 S estarão disponíveis nos primeiros meses de 2020 e nas seguintes opções de cor: Ducati Red com quadro cinzento escuro e jantes negras, guarda-lamas da frente Ducati Red no caso da Streetfighter V4, enquanto a variante S troca o guarda-lamas em vermelhor por um preto.

Galeria Ducati Streetfighter V4 e Streetfighter V4 S

andardemoto.pt @ 20-11-2019 16:35:49


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews