Aprilia RS 660 – Primeiras impressões, a técnica, preço e onde reservar

A desportiva de média cilindrada da Aprilia é uma das grandes novidades para 2021. O Andar de Moto já testou a RS 660 em estradas italianas, por isso aqui ficam as nossas primeiras impressões, todos os detalhes técnicos, o preço e a forma como poderá reservar a sua, beneficiando de uma oferta.

andardemoto.pt @ 22-10-2020 12:42:41 - Texto: Bruno Gomes

Apresentada no Salão de Milão EICMA em 2018 em formato “concept”, a nova RS 660 demorou menos de dois anos a chegar à produção em Noale. A equipa de engenheiros e designers da Aprilia realizou um enorme esforço para concretizar este projeto que, ao contrário do que se esperava, não é uma mini-RSV4, mas sim uma moto desportiva que vai abrir um caminho totalmente novo para este tipo de motos.

O seu Andar de Moto, como único meio nacional convidado para marcar presença na apresentação internacional em Itália, já tem para si as primeiras impressões de condução da nova Aprilia RS 660.

Eis o que o nosso jornalista Bruno Gomes tem para dizer da Aprilia RS 660


Para ser sincero, fui um dos muitos motociclistas apanhado de surpresa quando a Aprilia divulgou a performance do motor bicilíndrico. Até mesmo a opção por uma configuração de dois cilindros paralelos foi algo surpreendente. Estava à espera de um motor mais “espigado”, com potência aproximada às mais agressivas supersport 600 cc.

No entanto, e depois de quase 200 km percorridos aos comandos da RS 660, posso dizer que os 100 cv e 67 Nm de binário são suficientes para nos deixar a sorrir! O motor responde bem desde as 3000 rpm e revela uma capacidade de recuperação muito boa, o que permite desfrutar de uma condução descontraída mas ao mesmo tempo dinâmica.

Até porque toda a ciclística foi criada tendo por base a experiência da Aprilia no mundo da competição. Um quadro totalmente novo, de geometria desportiva, compacto e rígido para garantir um controlo sobre a moto que dificilmente as rivais, mais diretas ou menos diretas, conseguem oferecer.



As suspensões revelam uma capacidade de funcionamento acima do esperado, permitindo ao condutor sentir cada palmo de asfalto na perfeição, ao mesmo tempo que os travões Brembo, embora não sejam os topo de gama, garantem uma potência de travagem doseável e progressiva.

Tudo isto controlado por um pacote eletrónico que será, sem dúvida, a referência do segmento. Nem mesmo a poderosa RSV4 1100 Factory conta com um aPRC tão evoluído, pois a RS 660 estreia a nova centralina Magneti Marelli 11MP, com uma capacidade de processamento infinitamente superior à atualmente disponível na RSV4.

Oferecendo opções de ajuste que inclusivamente algumas superbike não têm, o novo aPRC – Aprilia Performance Ride Control inclui cinco modos de condução, ajuste do controlo de tração em 8 níveis, ajuste do efeito travão motor em três níveis, ajuste da potência em três níveis, tal como o ABS com função “cornering”, para além de podermitir ligar ou desligar o controlo “anti-wheelie”.

A forma como podemos selecionar todas estas opções é bastante intuitiva, e os novos controlos por botões no punho esquerdo, garantem que mesmo em andamento podemos facilmente selecionar as opções pretendidas.


O quickshift bidirecional é suave, preciso, e a transmissão tem o escalonamento perfeito para garantir uma aceleração contundente sem penalizar depois na velocidade máxima, bem superior aos 220 km/h.

O piloto de testes da Aprilia, Tommaso Marcon, que desenvolveu a RS 660 e está agora a finalizar a versão de competição Trofeo, e que milita na Taça do Mundo MotoE com a Tech3, confidenciou-nos que no circuito de Cremona, com um “layout” mais curto, conseguiu ser quase tão rápido aos comandos da RS 660 como o recorde de uma Yamaha R6 nesse circuito. A diferença das melhores voltas entre uma e outra moto cifrou-se em menos de um segundo! O que deixa no ar a pergunta: será que, num percurso mais recheado de curvas ou num circuito mais curto, a RS 660 não estará à altura das mais agressivas supersport 600 cc? Tudo indica que estará.

Isto sem esquecer que é uma desportiva pensada para percorrer rapidamente e em conforto muitos quilómetros, com uma posição de condução muito agradável, fruto do triângulo composto pelos avanços elevados, assento e poisa-pés estar bem concebido, mesmo para condutores de estatura elevada, o que à primeira vista não seria expectável devido ao conjunto ser bastante compacto.



Há muita coisa a acontecer na Aprilia neste momento.

Acredito que esta RS 660, até pelo que me foi confidenciado pelo responsável de produto da casa de Noale, que esta desportiva não só marca um ponto de viragem estratégico no futuro da Aprilia, a médio prazo, como também irá marcar um novo caminho que outros fabricantes de modelos desportivos de média cilindrada poderão seguir e reacender a paixão e vontade dos motociclistas em explorar estas motos em estradas públicas e não apenas em circuito.

Se estavam à espera de uma mini-RSV4 então posso afirmar que a Aprilia não seguiu esse caminho. Optaram por inovar, arriscar, e acredito que a opção da equipa de Noale levará a que outros fabricantes sigam este caminho.

Aprilia RS 660 – O preço e como reservar


Para lançamento deste modelo o importador da Aprilia em Portugal, a Officina Moto, disponibilizou um microsite exclusivo para os clientes interessados poderem fazer a reserva da sua RS 660. Este microsite encontrou-se ativo durante pouco tempo, pois a procura por parte dos motocilistas foi tão elevada que as unidades disponíveis para Portugal, nesta primeira fase, já esgotaram, e por isso a Officina Moto foi obrigada a fechar as reservas antes do previsto. As primeiras unidades deverão chegar em dezembro.

O preço da nova RS 660 é de 11.650€, excluíndo o valor da documentação.

Fique atento ao seu Andar de Moto pois em breve teremos o teste completo e a nossa análise a todas as características que tornam esta Aprilia RS 660 numa moto tão especial para o segmento das desportivas de média cilindrada.

Ficha técnica da Aprilia RS 660


Motor – Bicilíndrico paralelo, DOHC, 4 válvulas por cilindro, refrigeração por líquido
Cilindrada – 659 cc
Diâmetro x Curso – 81 mm x 63,93 mm
Taxa de Compressão – 13.5:1
Potência – 100 cv às 10.500 rpm
Binário – 67 Nm às 8.500 rpm
Caixa – 6 velocidades, com quickshift bidirecional
Embraiagem – Multidisco em banho de óleo, com função deslizante e assistida
Transmissão final – Por corrente
Pacote eletrónico – aPRC com cinco modos de condução – Commute, Dynamic, Individual, Race e Time Attack -, Aprilia Engine Map ajustável em três níveis, Aprilia Traction Control ajustável em oito níveis, Aprilia Engine Brake ajustável em três níveis, Aprilia Anti-Wheelie, ABS com função “cornering” ajustável em três níveis, Aprilia Cruise Control.
Quadro – Dupla trave, fabricado em alumínio, com motor como elemento estrutural
Suspensão Frontal – Forquilha invertida Kayaba com bainhas de 41 mm, ajustável em compressão, extensão e pré-carga. Curso da roda 120 mm
Suspensão Traseira – Amortecedor ajustável em compressão e pré-carga. Curso da roda 130 mm
Travões – Dois discos de 320 mm à frente com pinças Brembo de quatro pistões. Disco de 220 mm com pinça Brembo de dois pistões
Distância entre eixos – 1370 mm
Altura do assento – 820 mm
Peso a cheio – 183 kg (com 90% de combustível no depósito)
Cores – Apex Black, Lava Red e Acid Gold

andardemoto.pt @ 22-10-2020 12:42:41 - Texto: Bruno Gomes

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews