MotoGP – Miguel Oliveira termina primeiro teste no Qatar com 11º tempo

O piloto português da Red Bull KTM Factory foi mais rápido do que no primeiro dia de testes no circuito de Losail e termina o primeiro contacto com a sua RC16 obtendo o 11º tempo. Miguel Oliveira foi cerca de sete décimas mais lento do que o francês Fabio Quartararo que deixa a Monster Energy Yamaha no topo da tabela de tempos.

andardemoto.pt @ 7-3-2021 19:15:23

Com a realização do terceiro dia de testes (incluindo um “shakedown” para pilotos de teste e “rookies”) no circuito de Losail, Qatar, os pilotos e equipas de MotoGP começam a perceber melhor qual é o caminho que devem seguir para enfrentar a temporada 2021 com os melhores argumentos.

Ainda sem a presença de Marc Márquez, que continua a trabalhar na sua recuperação e sem data confirmada para regressar às pistas, o plantel de MotoGP voltou a usufruir de boas condições no circuito perto da cidade de Doha.

Se no primeiro dia foi Aleix Espargaró (Gresini Aprilia) a ser o mais veloz em pista, com a melhor volta em 1m54.687s, neste segundo dia foi o francês Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha) a saltar para o topo da tabela de tempos com uma volta em 1m53.940s.


Quartararo, agora inserido na estrutura de fábrica da Yamaha ao lado de Maverick Viñales, foi aliás o único piloto a conseguir rodar na casa do segundo 53. Atrás do francês ficou Jack Miller (Ducati Lenovo Team), com o sempre irreverente australiano a terminar a apenas 0.077s de Quartararo. O terceiro melhor tempo foi para Aleix Espargaró, com o piloto espanhol a mostrar que a nova Aprilia RS-GP está, aparentemente, mais competitiva, depois de sofrer profundas remodelações ao longo da paragem de Inverno.

Quanto ao português Miguel Oliveira, e depois do excelente registo no dia anterior e que lhe permitiu estar entre os cinco mais rápidos, fechou este primeiro teste oficial de MotoGP no Qatar cumprindo mais 47 voltas aos comandos da sua KTM RC16 da equipa Red Bull KTM Factory.

O jovem luso continua a trabalhar na definição de novos componentes a usar em 2021, e a sua melhor volta do dia, 1m54.666s, permite-lhe terminar o teste com o 11º melhor tempo. A diferença para Fabio Quartararo foi de pouco mais de sete décimas, mas bastante perto dos registos dos pilotos que terminaram imediatamente à sua frente.

"Foi um dia bastante positivo, com condições bastante difíceis na pista, mas um pouco melhores que ontem. Conseguimos fazer um bom trabalho, tínhamos uma lista de elementos aerodinâmicos para testar com o objetivo de ganhar um pouco de mais velocidade de ponta e também um pouco de temperatura no pneu dianteiro. Para além disso não tocámos muito na moto e na sua afinação, algo muito positivo porque consegui já 'fazer' tempos muito competitivos sem mexer muito na moto. Isso é muito positivo para nós porque sentimos que com algum trabalho e seguindo algumas ideias que temos poderemos encontrar soluções para sermos mais rápidos nos próximos três dias mas sempre tendo como prioridade testar o que temos na nossa lista de componentes e preparar o máximo possível a nossa corrida para arrancarmos da melhor forma esta temporada de 2021", referiu o piloto português da Red Bull KTM Factory.



Aprilia

A casa de Noale tem um longo caminho a percorrer. Mas este primeiro teste oficial de MotoGP para 2021 deixa boas indicações quanto ao rumo da Gresini Aprilia. Agora que já definiu os seus dois pilotos, Aleix Espargaró e Lorenzo Savadori passam a ter de se focar exclusivamente no desenvolvimento da nova e muito renovada Aprilia RS-GP.

Os dois pilotos trabalharam com dois conjuntos de carenagens diferentes, utilizando pacotes aerodinâmicos diferenciados.

A moto italiana está mais leve, conta com um motor V4 mais potente e com nova cabeça de cilindros, passa a ter sistema de “holeshot” para garantir arranques perfeitos em corrida, enquanto a famosa “Salad Box” traseira esconde um amortecedor de massas para reduzir as vibrações, melhorar a tração, e ao mesmo tempo reduzir o desgaste do pneu traseiro.



Ducati

A casa de Borgo Panigale conta com diversas novidades nas suas três equipas. Na equipa de fábrica Jack Miller e Francesco Bagnaia testaram novas soluções aerodinâmicas ao longo dos dois dias que tiveram para testar a nova Desmosedici GP21. Em particular um conjunto de difusores inferiores.

A moto italiana continua a ser a mais rápida de todo o plantel de MotoGP. Johann Zarco (Pramac Ducati) foi o mais veloz em velocidade pura atingindo os 351,7 km/h na longa reta de Losail.


Honda

Sem a presença de Marc Márquez, a Honda confia agora no trabalho de Pol Espargaró (Repsol Honda) e Stefan Bradl, com o piloto de testes do HRC em MotoGP a mostrar-se em bom plano.

O japonês Takaaki Nakagami (Idemitsu Honda LCR) rodou com uma nova carenagem dianteira e apêndices aerodinâmicos novos, enquanto Alex Márquez (Castrol Honda LCR) conta com novo sistema que permite baixar a altura da traseira e bloqueio da forquilha dianteira.

No entanto foi Bradl quem teve mais trabalho, testando exaustivamente um novo quadro dupla trave, com geometria redefinida.


KTM

Na marca austríaca tudo parece estar a correr da melhor forma, e embora os seus pilotos não tenham terminado este primeiro teste em lugares de destaque, exceção a Miguel Oliveira com o 5º tempo do primeiro dia, o program de desenvolvimento da KTM RC16 está a acontecer conforme previsto e com a preciosa ajuda de Dani Pedrosa.

Na KTM o destaque vai para o novo sistema de escape, mas nas motos oficiais da Red Bull os pilotos têm agora à sua disposição o sistema de “holeshot” que também bloqueia a forquilha dianteira para garantir arranques mais potentes.



Suzuki

A campeã Suzuki parece querer aproveitar o tempo em pista para trabalhar já na versão 2022 do motor quatro cilindros da Suzuki GSX-RR. Os regulamentos impedem a equipa de apresentar um motor novo para 2021, mas neste primeiro teste do Qatar, tanto o piloto de teste Sylvain Guintoli, no primeiro dia, como depois Joan Mir e Alex Rins, tiveram à sua disposição uma versão inicial do motor 2022.

No entanto a equipa não deixou de trabalhar em novidades para 2021, como por exemplo afinação da eletrónica e principalmente no sistema de refrigeração do motor, um fator particularmente relevante tendo em vista a fiabilidade ao longo da temporada.


Yamaha

Para além de ter tido um dos seus pilotos como o mais rápido em pista, a Yamaha trabalhou em áreas diferentes.

Os pilotos Fabio Quartararo, Maverick Viñales e Valentino Rossi testaram uma Yamaha YZR-M1 híbrida, uma mistura entre a moto de 2020 e a de 2021, com especial destaque para o novo braço oscilante em fibra de carbono. Já Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT) testou um novo depósito de combustível, com desenho diferente.

Os pilotos e equipas de MotoGP desfrutam agora de alguns dias de descanso. Estarão novamente de regresso ao circuito de Losail de 10 a 12 de março, naquela que será a sua última oportunidade para preparar a primeira corrida do ano, neste mesmo circuito, no final do mês.

Galeria de fotos de MotoGP - Teste 1 do Qatar 2021

andardemoto.pt @ 7-3-2021 19:15:23


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP