MV Agusta Brutale 1000 RS – A hypernaked de Varese está agora mais acessível

A icónica hypernaked da MV Agusta apresenta-se numa variante mais acessível. Fique a conhecer os detalhes da nova MV Agusta Brutale 1000 RS.

andardemoto.pt @ 8-9-2021 19:23:44

A pensar nos motociclistas que querem ter uma icónica Brutale 1000 na sua garagem, mas não necessitam da variante RR, com melhores componentes, o que, inevitavelmente penaliza ao nível do preço final, a MV Agusta divulgou uma nova variante da sua naked de alta performance.

A nova MV Agusta Brutale 1000 RS é a porta de entrada na gama hypernaked da casa de Varese. Mas apesar de ser mais acessível, isso não significa que o seu proprietário tem à disposição uma moto menos apaixonante.

O motor quatro cilindros em linha que equipa a Brutale 1000 RS é exatamente a mesma unidade motriz da variante RR. Isto significa que, mesmo a versão mais acessível, apresenta os mesmos 208 cv às 13.000 rpm, enquanto o pico de binário é atingido às 11.000 rpm e é de 116,5 Nm.


No interior do tetracilíndrico encontramos soluções técnicas que tornam a Brutale 1000 RS numa moto bastante avançada. Por exemplo, as bielas são fabricadas em titânio, o mesmo material que a MV Agusta usou para fabricar as válvulas de admissão e escape, de desenho radial, uma opção única no segmento hypernaked.

A árvore de cames adota também o mesmo desenho da RR, uma opção que, de acordo com a MV Agusta, pretende tornar o motor tetracilíndrico mais reativo a baixos e médios regimes, com um funcionamento suave, mas ao mesmo tempo poderoso.

O sistema de escape mantém a mesma configuração de quatro ponteiras em posição elevada, desenhadas de forma a garantir uma sonoridade exclusiva à Brutale 1000 RS. Por outro lado, a caixa de velocidades conta com o sistema EAS 3.0, um sistema de “quickshift” bidirecional, que agora conta com um sensor adicional para garantir trocas de caixa mais precisas e suaves.

A transmissão foi reforçada, o que permite ao condutor da Brutale 1000 RS explorar ao máximo a capacidade de aceleração desta hypernaked de Varese dando uso ao sistema de “launch control”.



Com uma performance tão elevada, a MV Agusta sabia que tinha de colocar à disposição do condutor um conjunto de ajudas eletrónicas avançadas. No caso da Brutale 1000 RS, e através do painel de instrumentos TFT a cores, com 5,5 polegadas, o condutor pode personalizar de forma detalhada o comportamento da moto.

Graças à utilização de uma plataforma de medição de inércia de 6 eixos, o pacote eletrónico desta naked italiana conta com modos de condução, controlo de tração ajustável em 8 níveis, controlo de binário com 4 níveis, “front lift control” ajustável para definir até que ponto a eletrónica permite a roda dianteira subir em relação ao asfalto, e tudo isto pode ser definido antes mesmo de ligar a moto, usando para isso a app MV Ride e descarregando as preferências para a moto.

Além disto, a MV Agusta recorreu aos especialistas da Continental, que fornecem a centralina MK100 que controla o ABS ajustável, com função “cornering”, e que funciona em paralelo com a função de mitigação do levantar da roda traseira em travagem.


A nível eletrónico convém também não esquecer que de série a Brutale 1000 RS vem equipada com “cruise control”, localizador Mobisat, permite visualizar as informações de GPS diretamente no painel de instrumentos, e, como opcional, a marca italiana permite instalar um sistema de monitorização da pressão dos pneus.

Já o chassis, apesar de largamente semelhante ao usado na RR, adota componentes diferenciados, mas menos dispendiosos. As suspensões Marzocchi (forquilha dianteira) e Sachs (amortecedor traseiro) são de funcionamento mecânico e contam com afinações de fábrica específicas da Brutale 1000 RS, que garantem, de acordo com a MV Agusta, uma condução precisa, eficaz em ritmos mais rápidos, mas igualmente adaptadas a uma condução em ambiente urbano.

O amortecedor de direção, componente imprescindível para garantir um controlo preciso da direção a alta velocidade, tem assinatura da Öhlins e controlo eletrónico, podendo por isso ser ajustado ao gosto do condutor através do menu.



O conforto foi também tido em conta. Assim, o assento do condutor é agora de duas densidades, com maior espessura, garantindo assim um maior nível de conforto em comparação com a mais agressiva RR.

Numa moto que apresenta 186 kg de peso a seco, destaca-se ainda a nova jante traseira com um desenho muito desportivo e bem-adaptado às formas orgânicas da Brutale 1000 RS, os poisa-pés forjados e um conjunto de espelhos retrovisores que, devido ao novo desenho, permitem visualizar com maior facilidade o que se passar atrás da moto.

De momento não temos ainda a informação precisa sobre quando e a que preço a MV Agusta Brutale 1000 RS. Iremos atualizar este artigo com essa informação assim que possível.

Galeria de fotos MV Agusta Brutale 1000 RS

andardemoto.pt @ 8-9-2021 19:23:44


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews