MotoGP 2021 – Miguel Oliveira analisa situação após melhor resultado do ano

O piloto português da Red Bull KTM Factory analisa o que aconteceu no Grande Prémio de Espanha em Jerez. O 11º lugar na corrida de MotoGP foi o melhor resultado do ano até ao momento, mas Miguel Oliveira não esconde as dificuldades por causa dos pneus Michelin.

andardemoto.pt @ 3-5-2021 14:21:28

O início de temporada do português Miguel Oliveira, que este ano compete pela formação principal Red Bull KTM Factory, está bastante longe daquilo que foram as expectativas criadas depois de um 2020 onde somou duas vitórias aos comandos de uma KTM satélite.

O próprio piloto luso colocou a fasquia para 2021 na luta pelo título em MotoGP. Mas a realidade é que, depois de quatro corridas realizadas, Miguel Oliveira encontra-se bastante abaixo na classificação.

O 11º lugar conquistado no Grande Prémio de Espanha, no circuito de Jerez Ángel Nieto, é, até ao momento, o melhor resultado do piloto da Red Bull KTM Factory na temporada em curso. Este resultado permitiu-lhe subir na classificação de pilotos somando agora 9 pontos na sua conta pessoal, o que o coloca na 17ª posição da tabela de pilotos de MotoGP.



Esta está a ser uma temporada complicada para a turma austríaca. A mudança na conceção dos pneus slick da Michelin tornou a KTM RC16 bastante mais complicada de pilotar, com os pilotos a terem de arriscar mais, correndo risco de cair, como aconteceu com Miguel Oliveira no GP de Portugal.

Os novos compostos e construção dos pneus Michelin continuam a dar dores de cabeça adicionais ao piloto português e à KTM. Tanto da parte do Miguel como dos responsáveis da marca austríaca existe a consciência de que estão em dificuldades. Mas também sabem que será com o seu esforço e trabalho que as vão ultrapassar.



Depois de mais uma corrida difícil, Miguel Oliveira explicou o porquê de não conseguir subir mais na classificação e ficar-se pelo 11º lugar:

“Esta foi uma corrida dura, muito difícil sobretudo pela temperatura mais elevada que se fez sentir face a sábado. Desde o arranque que me senti um pouco limitado pelo sobreaquecimento dos pneus e tornou-se bastante complicado rodar sem cair na fase inicial. Depois disso, com menos gasolina consegui arrefecer um pouco os pneus e no final consegui acabar com um ritmo decente e terminar a corrida em 11º. Longe do meu objetivo e longe do que sei ser capaz de alcançar e longe também certamente dos objetivos da equipa. Um fim-de-semana duro para nós onde o 11º lugar é o melhor que conseguimos e agora estamos focados totalmente nos testes onde vamos procurar soluções e extrair um pouco mais da nossa moto”.

Após a corrida no circuito andaluz, Miguel Oliveira não esconde estar desapontado. Em declarações à Sport TV o piloto português referiu que "É difícil fazer balanços positivos acabando num resultado que não espelha as minhas capacidades. Este ano está a ser difícil para nós... ou melhor, talvez os nossos rivais tivessem percebido melhor os pneus do que nós. Infelizmente a categoria está muito dependente do funcionamento dos pneus. Da minha parte, nesta corrida, houve sempre uma sensação de dificuldade sobretudo em fazer ultrapassagens. Foi difícil fazer a corrida em termos competitivos, não arriscando cair".


Quem também se mostra desapontado com o início de temporada de MotoGP da KTM é Mike Leitner. Um dos grandes responsáveis pelo projeto desportivo da KTM na categoria rainha coloca já como foco da equipa o Grande Prémio de França, dentro de quinze dias:

“Não podemos ficar contentes com o 11º lugar, porque tínhamos algumas expectativas depois da boa qualificação do Brad Binder e da consistência que demonstrou no warm up. Tivemos várias quedas e infelizmente o Brad teve uma na segunda volta. Aí acabou a corrida dele... Foi duro para o Miguel partir de 16º, pois esteve muito tempo no meio do pelotão. Temos de aceitar o 11º lugar, mas podemos ver o quão alto está o nível e agora temos de trabalhar no teste para encontrar algo extra para a moto. Foi positivo ter três motos nos pontos, mesmo que o nosso objetivo não seja estar apenas no meio do pelotão. A meta agora é melhorar em Le Mans”.

Será que no Grande Prémio de França dentro de duas semanas veremos o Miguel Oliveira e a Red Bull KTM Factory a inverterem a tendência menos positiva destas primeiras quatro rondas do ano de MotoGP?

Fique atento ao Andar de Moto pois iremos acompanhar de perto tudo o que acontece no circuito de Le Mans!

andardemoto.pt @ 3-5-2021 14:21:28


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP