MotoGP 2021 GP São Marino – Bagnaia perfeito volta a ganhar pontos a Quartararo

Francesco Bagnaia fez tudo bem e conseguiu a segunda vitória consecutiva em MotoGP. O piloto da Ducati recupera mais cinco pontos a Fabio Quartararo que foi segundo, com o “rookie” Enea Bastianini a estrear-se no pódio. Miguel Oliveira não escapou aos últimos lugares e fechou Grande Prémio de São Marino em 20º.

andardemoto.pt @ 19-9-2021 13:59:47

Com 27 voltas para cumprir e alguns pingos de chuva a fazerem-se notar nos momentos que antecederam o início do Grande Prémio de São Marino, o plantel de MotoGP acabou por ser feliz e não ver a sua corrida afetada pela chuva que, nos últimos dias, tem afetado com bastante intensidade a região de Misano e dificultou a vida dos pilotos e equipas, em particular no primeiro dia desta ronda do Mundial de Velocidade.

Os 24 pilotos que arrancaram para esta ronda de MotoGP optaram na sua maioria pelos pneus Michelin slick de composto duro para a dianteira. Para a traseira as escolhas foram bastante mais diferenciadas, com alguns, incluindo Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory) ou Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha), a optarem pelo composto médio e outros pelo macio. No caso do francês líder do mundial esta opção quase surtiu na perfeição. Mas já lá vamos.

No momento em que os semáforos do circuito Misano World Circuit Marco Simoncelli se apagaram, o mais rápido a reagir foi o “pole position” Francesco Bagnaia. O jovem italiano, a correr em casa da “sua” VR46 Academy, foi muito rápido. De tal forma que até se pensou que teria feito falsa partida, situação que não se confirmou, ou seja, Bagnaia não foi penalizado.


Atrás de si as escaramuças pelas posições seguintes sucederam-se quase em cada curva nos momentos iniciais. Jack Miller na segunda Ducati da equipa de fábrica, serviu de “tampão” à progressão de Fabio Quartararo, que nas primeiras voltas sentiu problemas em fazer funcionar o pneu traseiro de composto médio frente aos rivais da Ducati com pneus macios.

Nesse momento o espanhol Jorge Martin (Pramac Ducati), já depois de se desenvencilhar de Marc Márquez (Repsol Honda), atacou o terceiro lugar de Quartararo. Os dois envolveram-se numa troca de posições que aconteceu de curva em curva. Eventualmente o líder da classificação colocou a sua Yamaha M1 na terceira posição, e acabou por beneficiar do erro de Martin, que perdeu a frente da sua Ducati e assim caiu para último.

Aliás, o espanhol da Pramac Ducati acabou ainda por ser penalizado com uma “long lap” por ter atalhado na curva 1 do circuito italiano. Martin tentou cumprir a penalização de imediato mas não o fez da forma definida pelas regras, foi novamente penalizado, e acabou por entrar na box e desistir, percebendo que não tinha mais nada a fazer nesta corrida e com a sua moto danificada da queda preferiu não arriscar.



Lá na frente, e com Bagnaia rapidamente a fugir na liderança até chegar aos 2,7 segundos de vantagem para os perseguidores, Jack Miller começou rapidamente a sentir a pressão de Fabio Quartararo. O francês manteve um ritmo constante, foi-se aproximando de Miller, até que, quando passámos o equador da corrida de 27 voltas, Quartararo atacou e passou sem grande dificuldade para segundo por troca com Miller.

Nesta altura nada fazia prever que Bagnaia fosse ameaçado. O italiano, novamente sem cometer qualquer erro, controlou a corrida numa fase intermédia, e na entrada do último terço de prova detinha ainda uma boa margem para Quartararo que, na segunda posição, sabia que era altura de aproveitar o seu pneu traseiro médio.

De facto, o pneu traseiro de Bagnaia estava já a mostrar um enorme desgaste no lado esquerdo. Com isso os tempos por volta do italiano foram aumentando. Por outro lado, Quartararo estava agora a fazer voltas rápidas e a fazer desaparecer em bom ritmo os mais de dois segundos que o separavam do líder.

Paulatinamente a diferença foi-se esfumando. Passou para 1,5 segundos. Depois para 1 segundo. E a três voltas do fim os dois primeiros já estavam separados por menos de um segundo. A luta pela vitória estava ao rubro!


Francesco Bagnaia, informado pela equipa que estava a ser apanhado, continuou a sua caminhada perfeita, adotando a partir desse momento umas trajetórias ligeiramente mais defensivas. Ligeiramente mais atrás, Fabio Quartararo procurava trajetórias mais interiores, conseguindo inserir a sua M1 na rota mais rápida e com isso entrou a apenas duas décimas de diferença de Bagnaia na última volta. Tudo seria decidido na última volta!

Foi o momento de Francesco Bagnaia repetir a sua performance defensiva que já tinha mostrado em Aragão. O italiano, sempre a mostrar uma frieza e um calculismo acima da média, conseguiu mesmo ganhar um pouco mais de espaço para respirar. Quartararo tentou, mas não foi capaz de se posicionar para um ataque final nas últimas curvas.

Assim, Francesco Bagnaia leva para casa a sua segunda vitória da carreira em MotoGP, a segunda vitória consecutiva, e recuperou mais cinco pontos na luta pelo título em que continuamos a ter Fabio Quartararo no topo.

Mais atrás e não menos impressionante ficou o “rookie” Enea Bastianini (Avintia Esponsorama Ducati). O jovem italiano, campeão em título das Moto2, depois do obter aquele que até agora era o seu melhor resultado no GP de Aragão com um 6º, fez ainda melhor e enfrentou Marc Márquez (Repsol Honda), Aleix Espargaró (Aprilia Gresini), entre outros. Bastianini, aos comandos de uma moto de especificação de 2019, conseguiu mostrar nesta corrida em Misano o seu talento, e o 3º lugar é mais uma prova do crescimento ao longo da temporada e que está agora a traduzir em bons resultados.



Quanto à prova do Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory), e depois de mais uma qualificação muito abaixo do esperado, e onde o português voltou a referir que a KTM RC16 é uma moto com problemas e que a equipa não consegue identificar a causa mas que é uma moto lenta, a corrida não correu muito melhor.

Arrancando da 21ª posição Miguel Oliveira não conseguiu repetir aqueles arranques a que já nos habituou. Permaneceu sempre na cauda do pelotão, subiu a 20º, desceu novamente a 21º e foi aí que fez a sua corrida, beneficiando depois da queda de Alex Rins (Ecstar Suzuki) para subir e terminar em 20º.

Com este conjunto de resultados, e quando a caravana do MotoGP se prepara para a grande viagem até Austin, Texas, para o Grande Prémio das Américas, Fabio Quartararo está com 234 pontos e lidera a corrida ao título, Francesco Bagnaia tem 185 pontos, enquanto Joan Mir segue com 167 pontos. Já Miguel Oliveira, que voltou a não somar pontos, desce para 10º na classificação com 87 pontos.

andardemoto.pt @ 19-9-2021 13:59:47


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP