Susana Esteves

Susana Esteves

Jornalista e motociclista

OPINIÃO

Vendo, não vendo. Vendo, não vendo

Atualmente a vida não está particularmente fácil para ninguém. Eu gostava muito de pertencer àquela classe de pessoas que nasceram com o “** virado para a lua”, mas não, o meu aparentemente nasceu virado exatamente para o lado oposto.

andardemoto.pt @ 2-11-2020 18:12:16 - Susana Esteves

Eu até sou uma pessoa positiva, que acredita que a certa altura o jogo vira, as coisas boas acontecem, a sorte muda, etc, etc. Mas a minha conta bancária parece não estar alinhada com este meu mindset, e está a exigir um sacrifício. Podia ser uma cabra, ou um galo como manda a tradição dos malditos, mas não, vai ter mesmo de ser uma das motos.

Problema? Não consigo. Estou numa verdadeira batalha interior há meses, o coração vai à frente no marcador, mas a cabeça quando entra a “pés juntos” desequilibra tudo.

Juro que estou a tentar. Já tirei fotos, escrevi o texto do anúncio e entrei várias vezes na aplicação. Mas consigo carregar naquele botãozinho final que coloca a moto na forca? Não!


Nunca tive um ataque de pânico, nem uma crise de ansiedade, mas a verdade é que fico com um peso no peito, com falta de ar e com, vontade de chorar quando penso nisso. É só uma crise de parvoíce?

Isto é uma pieguice pegada? É. Sou a primeira a admitir e esta situação me deixa inclusive irritada porque não sou apegada a bens materiais… à exceção desta moto.

-“Então vende a outra!” Infelizmente a escolha é óbvia. Vendo a que gasta 2 litros, que não paga IUC, que quase não precisa de revisões e que vale meia dúzia de euros no mercado, ou a outra?


O problema é que não é só uma moto. É “A” moto. É aquela que tem história, que tem a capacidade de me tirar dos maus momentos, é a das conversas importantes, dos momentos a sós e dos segredos. É a da adrenalina, das boas experiências, é aquela que sempre desejei, que procurei, que desisti e que me encontrou, nem sei bem como. É aquela que é perfeita para mim, que me dá um prazer indescritível conduzir.

E coragem para carregar no botão “Publicar anúncio”? E coragem para a ver sair nas mãos de outro?

Obviamente que isto é uma estupidez. Esta relação desequilibrada parece anedota de rede social, já as minhas contas para pagar são um drama da vida real. A verdade é que ainda hoje abri a app, revi as fotos, voltei a escrever o valor e olhei para o botão.

Vendo, não vendo.

Vendo. Não vendo.

Amanhã tento outra vez…

Boas curvas

Outros artigos da Susana Esteves:

andardemoto.pt @ 2-11-2020 18:12:16 - Susana Esteves


Clique aqui para ver mais sobre: Opiniões