Susana Esteves

Susana Esteves

Jornalista e motociclista

OPINIÃO

E tudo o vento quase levou!

Nem todos gostam de andar de moto no inverno. A chuva representa um risco acrescido na estrada, o granizo é especialmente desagradável e os dias mais frios são terríveis, mesmo com equipamento de qualidade. Mas o vento é, para mim, o pior!

andardemoto.pt @ 6-6-2022 20:42:00 - Susana Esteves

Não estou a falar de aragens, ligeiras brisas ou mesmo de vento moderado. Falo de vento forte, lateral ou cruzado, com rajadas, o que sentimos há pouco tempo um pouco por todo o país.

O vento dita as regras quando pensamos em atravessar as pontes ou escolher a autoestrada. Determina o lugar onde estacionamos e a posição em que deixamos a moto. A minha caiu esta semana devido a uma rajada de vento forte, simplesmente porque não fui suficientemente rápida a determinar o grau e o ângulo mais ajustado à direção do vento (é quase preciso um curso).

Determina a moto que escolhemos conduzir nesse dia (para quem tem opção). As motos mais leves e pequenas são as que mais sofrem. Coloca-nos travão na velocidade a que circulamos quando vamos entre os carros. Aliás, este ponto é particularmente crítico. Uma rajada de vento destrói em milésimos de segundo qualquer “medição a olho” tirada no meio do trânsito. Basta uma rajada para sermos projetados para cima do carro do lado.

Condiciona a escolha da roupa e do capacete. Por regra, todo o equipamento deve estar justo para não criar desequilíbrios. Mas quando há ventos fortes, até umas calças mais largas fazem diferença.

Quando comecei a andar de moto o vento foi o meu adversário mais temível. Tínhamos/temos uma relação de ódio-ódio muito especial. E na altura deram-me umas dicas para andar de moto quando está muito vento que me pareceram saídas de um episódio dos “Apanhados”.

Entre a dica de aumentar a tração, a pressão sobre o guiador e a posição do corpo na moto, disseram-me para fazer a bandeira. Ou seja, abrir/ rodar a perna para fora da carenagem da moto, do lado que vem o vento. É mito ou verdade?

Nos primeiros tempos lá andava eu de perna meia aberta, ora para um lado ora para outro, a tentar perceber se aquilo funcionava, ou se tinha sido vítima de uma piada ou praxe motociclista. Seja qual for a técnica, a palavra de ordem é prudência. O vento é traiçoeiro e tudo acontece em milésimas de segundo.

Abril 2022

andardemoto.pt @ 6-6-2022 20:42:00 - Susana Esteves

Outros artigos de Susana Esteves:

Fora da estrada e da minha zona de conforto

Telemóvel: perigo de morte

A irmandade do asfalto

Não vás às cegas que podes desiludir-te

Os motociclistas e a matemática

Quer a moto? Não vendo a mulheres!

Diz-me o que conduzes, dir-te-ei quem és

Viajante solitário

Uma mota partilha-se?

Perco a cabeça ou arrisco perder a cabeça?

Os estafetas das empresas de entregas são ninjas?

Com curvas ou sem curvas

Partida. Largada. Tudo a tirar o pó dos punhos!

Mitos, ditos e mexericos

Quatro patas em duas rodas

Equipamentos que não precisamos, mas que depois não podemos viver sem eles

Quer uma moto? Tire senha e aguarde a vez

Quem arrisca… às vezes petisca o que não quer

Mulheres motociclistas nas compras? Não há opções, não há vícios.

Amor sem idade

Automáticas: sim ou não?

Vendo, não vendo. Vendo, não vendo

Podia ter sido o dia perfeito… não fosse o raio da porca

Próxima paragem: (A definir)

Arrisco a multa ou arrisco o encosto?

A paixão pelas motos passa com a idade?

Motoclubes: esses antros de má vida

Cuidado!! Motociclos aumentam risco de sociabilidade

Quem corre por gosto…

Problemas na mota? Eis o manual de sobrevivência!

O vírus do motociclista virgem

Oitos: o bicho mau das aulas de condução

Proibição de andar de mota: como sobreviver à ressaca

A minha primeira vez

A melodia de um belo ronco

Filho de peixe não sabe nadar porque eu não quero!

Foge que é pendura!

Mota roubada, trancas à solta

Viagens longas de 125: há rabo que aguente?

Andar de mota: o lado menos sexy da coisa

Motociclista: esse bicho raro

Sexo, motores e pecado

Afinal somos grandes (mas só na altura de pagar)

Inverno em 2 rodas

As regras são para…

Inteligência ou mariquice?

Férias em duas rodas - Não negue à partida uma experiência que desconhece

Férias em duas rodas - Não negue à partida uma experiência que desconhece

Falta-nos um “bocadinho assim”…

Segurança ou liberdade?

Motoshow 2017: É pró menino e prá menina

O tamanho importa?


Clique aqui para ver mais sobre: Opiniões